06/01/2021
Manejo Integrado de Pragas: tudo que você precisa saber sobre o MIP
O Manejo Integrado de Pragas, também chamado de MIP é um tema muito importante e de alta relevância no setor agropecuário. De modo geral, a popularização deste tema está diretamente atrelada aos benefícios que o controle de pragas oferece, sobretudo na geração de economia e manutenção de uma cultura mais saudável.

Portanto, se deseja entender mais sobre este assunto, veio ao lugar certo! Continue a leitura e tire suas dúvidas!


Afinal, o que é Manejo Integrado de Pragas?


O Manejo Integrado de Pragas pode ser entendido como um processo de controle de pragas que leva em consideração o ambiente e o progresso da população de determinados surtos. Além disso, considera também o uso de alguns mecanismos de proteção das plantas, bem como a adaptação de medidas cujo objetivo é reduzir a população de pragas de modo econômico e ecologicamente sustentável.
 

Quais as premissas do Manejo Integrado de Pragas?

 
Análise das populações agrícolas
Inicialmente, o plano de contenção de pragas consiste na avaliação geral do agroecossistema, uma vez que a partir disso é possível entender melhor sobre o comportamento do cultivo e suas pragas agrícolas.

Na prática, entender melhor sobre a lavoura e a praga possibilita a identificação do momento em que a produção está mais frágil as ações nocivas das pragas, isto é, quando tem capacidade de produzir muitos prejuízos.

Dessa forma, é possível adotar medidas preventivas. Além disso, reconhecer o estágio correto do crescimento das plantas também contribui para que a aplicação de métodos de controle de maneira mais eficiente, evitando danos importantes à lavoura.

Monitoramento
Outra fase importante do MIP passa diretamente pelo monitoramento da densidade populacional ou até mesmo dos danos provocados por insetos como cupins, formigas, gafanhotos ou percevejos.

Esse tipo de acompanhamento pode ser feito através de técnicas de amostragem, por exemplo. Na prática, toda a área da propriedade é dividida em setores, contendo diversos pontos de extração de uma pequena amostra de pragas. Assim, caso seja constatada uma ameaça em potencial, basta colocar em prática um plano de controle para diminuição das pragas.


Quais os métodos de controle do Manejo Integrado de Pragas?

Diferente do que imaginam a maioria das pessoas, o MIP consiste na aplicação de defensivos agrícolas para redução do volume de pragas sempre que necessário. Por outro lado, podem ser utilizados também outras formas de controle, o que contribui para a redução do uso de produtos químicos — já que podem ser nocivos à saúde das plantas.

Conheça, abaixo, alguns dos métodos mais utilizados para controlar a densidade populacional de pragas, conforme os princípios básicos abordados pelo MIP.

Controle Cultural
O controle cultural é a principal técnica de redução de insetos nas lavouras. Ela consiste basicamente no extermínio de vetores alternativos, rotação de cultura para reduzir a exaustão do solo, adubação adequada, um bom projeto de irrigação e/ou drenagem, entre outros.

Controle biológico
Por outro lado, o controle biológico está relacionado a redução de pragas através do uso de opositores naturais das pragas. Essa técnica é dividida em 3 abordagens distintas: natural, clássica e aplicada.

No método natural a prioridade é conservar os inimigos naturais das pragas presentes na lavoura, utilizando inseticidas naturais. Além de menos agressivos à sua cultura, esse tipo de inseticida tem baixo custo e não são danosos à saúde das plantas.

A clássica, por sua vez, tem por objetivo impedir o crescimento populacional de pragas em locais alheios a sua predominância natural. Para tanto, pode ser necessário a utilização de inimigos naturais importados de locais de ocorrência natural para um novo local de ocorrência. 

Controle físico
Diferente dos métodos anteriores, o controle físico caracteriza-se pela ação mecânica de medidas para reduzir o número de pragas de determinadas culturas, evitando assim os efeitos danosos à lavoura. As melhores práticas do controle físico incluem:

●    recolhimento de lagartas feito a mão;

●    alteração da temperatura e luminosidade;

●    criação de bloqueios — como o ensacamento dos frutos no caso da fruticultura;

●    inundação de áreas.

Controle por comportamento
Por fim, o controle por comportamento consiste na aplicação de hormônios, feromônios ou repelentes com o objetivo de alterar o comportamento das pragas, reduzindo assim sua população e eventuais danos à saúde das plantas. Vale destacar que o uso de substâncias atraentes pode ser útil tanto no controle quanto no monitoramento das pragas.

Como você pode perceber, são inúmeros desafios enfrentados por produtores rurais para a implantação de modo sustentável do Manejo Integrado de Pragas. Para facilitar essa tarefa, a alternativa é utilizar mão de obra qualificada, o que poderá aumentar o seu custo produtivo.

Agora que você já sabe o que é necessário para atuar de maneira efetiva no controle de pragas, o que acha de conferir nosso catálogo de sementes? Entre em contato com nossos especialistas e descubra como escolher os melhores produtos, de acordo com suas necessidades.