09/09/2021
Dormência em sementes: o que é, quando ocorre, tipos e causas
Dormência em sementes ocorre quando, por conta de fatores internos ou externos, as sementes não germinam. Trata-se de um problema comum, porém que pode causar muitas desvantagens financeiras. Quer entender melhor como e por que acontece a dormência em sementes? Continue a leitura e saiba como driblar esse problema! Confira!

O que é dormência em sementes e qual o seu impacto?

A germinação das plantas ocorre quando todas as condições do ambiente são favoráveis. Hidratação na medida certa, além de luz e temperatura favoráveis, são elementos essenciais para que a plantação apresente um crescimento saudável com plantas fortes que possam sobreviver às adversidades do clima.

Entretanto, às vezes é possível notar que, mesmo em condições que são boas para a germinação e desenvolvimento das plantas, algo ocorre no meio do processo que impede que essas plantas se desenvolvam de acordo.

É importante saber que esse processo de dormência é uma herança evolutiva que faz com que as sementes busquem uma melhor adaptação ao ambiente enquanto esperam o momento certo para se reproduzirem. Portanto, é a planta-mãe quem determina o momento certo para que aquela semente germine e perpetue a espécie.

Quais os tipos e causas da dormência nas sementes?

A dormência em plantas pode ser classificada em dois tipos, sendo eles a endógena e a exógena. Essas duas classificações são importantes para avaliar os motivos da dormência e em que estágio as sementes entraram nesse processo. Confira abaixo as diferenças entre os dois tipos:
 
  • Dormência endógena: esse tipo ocorre quando o impedimento à germinação ocorre ainda no embrião, ou seja, o prefixo "endo" dá a dica de que a causa é interna. A dormência endógena pode acontecer por algum problema herdado da planta-mãe que pode ser hormonal, ou mesmo algum inibidor químico;
  • Dormência exógena: o prefixo do conceito, “exo”, também dá a dica de que o problema é causado por condições exteriores à semente. Pode ser que a hidratação não consiga superar os tecidos da semente, ou mesmo que as condições externas de solo e clima não permitam o mesmo.
Existem outras causas possíveis para a dormência em sementes, sendo elas:
 
  • Tegumento impermeável: como dito acima, as causas exógenas podem fazer com que as sementes não germinem. Nesse caso de tegumento impermeável, a causa é a impermeabilidade da derme da semente que não permite que os gases ou a água necessária à produção da vida consigam entrar em contato e ativar o crescimento. Nesses casos, essas sementes são conhecidas como sementes de casca dura;
  • Substâncias inibidoras: neste caso, as substâncias que estão impedindo o germinar das sementes podem ser diversas. Problemas do solo que pode não contar com os minerais e vitaminas necessários, além de o próprio embrião não ser capaz de produzir substâncias que auxiliem no germinar, são algumas das possibilidades.

Como tratar a dormência em sementes?

Existem alguns métodos que podem ser utilizados para tentar despertar essas sementes e conduzi-las à germinação. Confira:
 
  • Escarificação química: é o processo de remover a pele das sementes de forma a permitir que os compostos necessários à germinação possam penetrar a derme e despertar o embrião. Esse método utiliza ácidos sulfúrico, clorídrico, entre outros;
  • Escarificação mecânica: similar ao método acima, a diferença desse método é que não são compostos químicos utilizados na escarificação e sim métodos mecânicos como lixa, atrito com superfícies ásperas, entre outros;
  • Choque de temperatura: é autoexplicativo, ou seja, é um método que busca o despertar das sementes por meio da alternância de temperatura;
  • Água quente: esse método é a imersão das sementes em águas em temperaturas altas de 76 a 100ºC. O período de imersão vai depender do tipo de semente;
  • Estratificação: esse método tenta fazer as trocas de nutrientes necessárias às sementes utilizando tratamento úmido em baixa temperatura.

Conclusão

A dormência em sementes é um processo evolutivo natural que busca a manutenção e sobrevivência da espécie. No entanto, é possível acelerar esses tempos de preparação natural com opções de tratamento direcionadas a cada espécie de sementes, afinal, cada uma possui um tempo específico.

Gostou das dicas e informações que apresentamos neste artigo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais!