30/10/2020
BRS Piatã: entenda o que é e quais são os cuidados necessários
A BRS Piatã é uma brachiaria brizantha lançada pela Embrapa em 2006. Seu nome tem origem nas tribos indígenas brasileiras, tendo um significado bastante representativo, afinal, de acordo com a família linguística tupi-guarani, Piatã quer dizer fortaleza.
Essa denominação, inclusive, retrata as principais características da planta, sobretudo por conta de sua robustez e produtividade. Em linhas gerais, esse tipo de brachiaria pode ser facilmente encontrada em regiões pecuárias — já que é uma das mais importantes fontes de alimento conhecidas para animais no pasto.
Ficou interessado no assunto e deseja conhecer mais sobre as principais características desta planta? Então, continue a leitura. Neste post vamos apresentar alguns detalhes de plantio, manejo e atributos da planta. Confira!

Quais as principais características da BRS Piatã?
O Capim Piatã é uma planta forrageira de boa palatabilidade e ótima digestibilidade. Indicada para pastoreio, fenação e silagem, ela é apropriada para uso em solos de média e alta fertilidade.
Mais comuns nas zonas tropicais do Brasil, ela pode também ser cultivada em regiões mais quentes do Sudeste, Centro-Oeste e em algumas extensões da pré-Amazônia e Mata Atlântica.
Bastante resistente às cigarrinhas — pragas comuns de pastagens da América Tropical —, trata-se de uma brachiária de porte médio com muito vigor. Sua altura média pode variar entre 0,85 e 1,10m e suas folhas são bastante largas, podendo alcançar até 45 cm de comprimento e aproximadamente 2 cm de largura.
Apesar de ásperas, suas folhas não têm pêlos na face superior. Além disso, a parte da planta onde se localizam as flores podem apresentar até doze ramificações, característica própria da planta. Seu florescimento é precoce, ocorrendo principalmente entre janeiro e fevereiro e o seu ápice se dá bem próximo à conclusão do período chuvoso.

Quais as vantagens da BRS Piatã?
Presente nas principais regiões pecuárias do Brasil, o Capim Piatã é uma forrageira de excelente qualidade. Indicado para pastejo rotacionado, apresenta produtividade muito semelhante às opções como o Capim Xaraés e Marandu, indicando importantes vantagens sobre elas, especialmente por conta de suas características essenciais a diversificação de pasto.

Florescimento
O florescimento e produção de sementes do BRS Piatã é uma importante vantagem para pastagens que utilizam esse tipo de semente. Isso porque, sua floração precoce permite a recuperação das plantas e garante uma produtividade de excelente rendimento ao final do período chuvoso, sendo uma excelente alternativa para a associação de lavoura e pecuária.
Teores de proteína
Com teor de proteína na matéria seca variando entre 8 e 11%, a planta possui colmos finos, o que permite um melhor aproveitamento para o animal. Além disso, este aspecto favorece o consumo de forragem disponível para seca.
 
 

 

Forrageira

Período Chuvoso

Período de Seca

PB

DIVMO

PB

DIVMO

BRS Piatã

9,5

59,9

7,3

51,9

Xaraés

10,4

59,3

8,1

53

Marandu

10,4

61

7,9

53,5

 
Conteúdo médio de proteína (%PB) e digestibilidade (%DIVMO).

Resistência
Mais resistente às típicas pragas de pastagens (cigarrinhas) como o Capim Xaraés, o BRS Piatã é mais duradouro também em solos com drenagem ineficiente, especialmente ao comparado ao Capim Marandu.

Qualidade
Por fim, esta é uma opção mais interessante para promoção da integração lavoura-pecuária, isso porque o seu crescimento inicial tardio e características apropriadas para o manejo contribuem para o acúmulo de uma forragem de boa qualidade durante o período seco.

Manejo de pastagem e plantio
O manejo do Capim Piatã assemelha-se ao do Capim Marandu. De modo geral, a pastagem indicada gira em torno de 25 e 35 cm de altura em pastejos contínuos. Por outro lado, pastejos rotacionados demandam uma altura mínima de 40 cm na entrada do gado, sendo de 20 cm na saída. Ademais, para solos de fertilidade alta, recomenda-se o uso entre 35 e 15cm para entrada e saída dos animais, respectivamente.
O plantio deve observar as recomendações mínimas necessárias para aplicação de brachiarias comuns. Isto é, deve-se realizar uma análise criteriosa do tipo de solo, definindo assim a quantidade de adubo necessário para plantio. Além disso, a preparação da área passa diretamente pela adoção de medidas para conter erosões.
O BRS Piatã pode ser lavrado por meio do sistema convencional de plantio direto. Porém, vale destacar que uma boa formação de pastagem demanda a aplicação de pelo menos 50 sementes por metro quadrado. Além disso, elas devem ser colocadas através de plantadeiras a uma profundidade média de 2 e 5 cm.
Gostou deste artigo? Em caso afirmativo, entre em contato com nossa central de atendimento para obter mais detalhes e informações sobre o BRS Piatã.